segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

A Cidade da Aurora




Udaipur, a Cidade da Aurora







Continuando nosso passeio a Udaipur, no Palácio da Cidade






Detalhes do pórtico da entrada









Ganesha é um dos mais populares deuses da Índia, vejam o porquê:

Ganesha, Ele é o primeiro filho de Shiva e Parvati, e o esposo de Buddhi (também chamada Riddhi) e Siddhi. Ele é chamado também de Vinayaka em KannadaMalayalam e MarathiVinayagar e Pillayar em tâmil, e Vinayakudu em TeluguGa simboliza Buddhi (intelecto) e Na simboliza Vijnana (sabedoria). Ganesha é considerado removedor de obstáculos, proporcionador do sucesso e da fartura, mestre do intelecto, da sabedoria e chefe do exército celestial, e por isso também, esta divindade é encontrada sempre na porta de todos os templos hindus e na porta das casas dos hindus como o protetor. 


Ele é representado como uma divindade amarela ou vermelha, com uma grande barriga, quatro braços e a cabeça de elefante com uma única presa, montado em um rato. É, habitualmente, representado sentado, com uma perna levantada e curvada por cima da outra. 

Ganesha é o símbolo das soluções lógicas e deve ser interpretado como tal. Seu corpo é humano enquanto que a cabeça é de um elefante; ao mesmo tempo, seu transporte (vahana) é um rato. Desta forma, Ganesha representa uma solução lógica para os problemas: é o "Destruidor de Obstáculos". Sua consorte é Buddhi (um sinônimo de "mente") e ele é adorado junto de Lakshmi (a deusa da abundância) pelos mercadores e homens de negócio. O culto de Ganesha é amplamente difundido, mesmo fora da Índia

(Google)


 Ricos detalhes




Representação do Marajá






Detalhes do Palácio do Lago Pichola








Entalhe numa única peça de mármore





A internet da época. Aqui os pombos-correio traziam e enviavam as mensagens de várias partes do Reino. Essa era a sala das informações.






Planta do Palácio



Realmente, tem um ar veneziano. Muito bonito construído num lago artificial...









Salão dos espelhos











Detalhe da porta do banheiro feminino...




O Marajá que construiu tudo isso




Nenhum comentário:

Postar um comentário