domingo, 8 de fevereiro de 2015

Aachen


Aachen



A cidade foi fundada pelos romanos, no século I. Em virtude de suas águas termais, recebeu a denominação de Aquae-Grani (de que derivou Aquisgrano), em homenagem a Apolo Grano, o deus greco-romano protetor dos banhos.
Foi escolhida para capital do Sacro Império Romano-Germânico por Carlos Magno (que provavelmente nasceu em Aachen no ano 742 e que nela veio a falecer em 28 de Janeiro de 814), tendo sido a sede da coroação de 32 imperadores que lhe sucederam, até a cerimônia ser transferida para Frankfurt, no século XVII.
Teve como concorrente política as cidades de Roma e Ravena. A primeira cidade, em importância política, e, a segunda, em tesouros arquitetônicos e históricos.
Praticamente devastada pelos bárbaros em 881, foi reconstruída em 983, sendo novamente arrasada por um violento incêndio em 1656, e mais uma vez, no século XX, durante a Segunda Guerra Mundial.
Aachen foi, de todas as cidades da Europa, a mais habitada e visitada por imperadores, reis e estadistas. Nela foram realizados, igualmente, vários concíliossínodos e dietas, e solucionaram-se diversas questões políticas. Destacam-se a assinatura do tratado de maio de 1668, que pôs fim à guerra da Devolução, entre a Espanha e a França, a do tratado de outubro de 1748, conhecido como a Paz de Aquisgrão, que determinou o fim da Guerra da Sucessão da Áustria, e também o congresso de 1818, no qual foi sancionada a evacuação da França pelos aliados, após a derrota de Napoleão.
De 936 a 1531, os reis alemães foram coroados em Aquisgrão. A cidade foi ocupada por tropas francesas em 1794 e mais tarde anexada 1801 pela França, passada à Prússia em 1815 e, de 1918 a 1930, a cidade foi ocupada pelos  aliados como resultado da derrota da Alemanha na Primeira Guerra Mundial. Durante a Segunda Guerra Mundial, dois terços de Aachen foram destruídos por bombardeamentos aéreos. Foi também a primeira grande cidade alemã a ser libertada pelos Aliados, em outubro de 1944.
fonte:Wikpedia

Tesouros de Aachen, bela cidade




 Relicário onde se acredita estão guardados o manto de Maria e seu cinto.
 A catedral é belíssima. Sua parte mais antiga é em estilo bizantino e data do ano de 800, da coroação de Carlos Magno, fundador do Sacro Império Romano-Germânico.

Origem do império carolíngeo com sua arte inigualável, especialmente a arte sacra.






 Máscara de Carlos Magno em ouro maciço e incrustada de formidáveis pedras preciosas.



 Relicários




Livros manuscritos com iluminuras datadas a partir do ano 800





Relicário, raro, em forma de mão onde estão os ossos do braço direito de Carlos Magno


                                                   Detalhe do rádio e cúbito do Imperador






Cruz em ouro e pedras preciosas usadas na coroação






Pequeno busto do Imperador





No museu da Catedral

 Custódias e cálice
                                                   




 Missal

Cetro de Carlos Magno (note-se a águia símbolo do Império)





 O manto da coroação




Coroa de uma rainha




Madona, mais recente (1320) no estilo carolíngeo















 No museu da Catedral há vários relicários com relíquias de muitos santos e santas, um costume devocional na época em que as cidades surgiam ao redor das catedrais. Essas devoções faziam com que caravanas de peregrinos trouxessem desenvolvimento ao lugar






 Imagem de S. Pedro em ouro maciço. Notem as chaves que ele segura.







 Eu e minha rainha na entrada do museu





Eu e minha princesa








Cidade linda. Tanta história! Nesse tempo, nossos antepassados brasileiros ainda comiam gente, literalmente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário